A protecção do regime democrático em relação aos homofascistas

« A lei de co-adopção que vai ser votada na especialidade, se tudo correr conforme os planos, na próxima semana, discrimina contra casais heterossexuais. O aviso parte de Isilda Pegado, presidente da Federação Portuguesa Pela Vida, que esta tarde foi ouvida no Parlamento, pela comissão que está a analisar esta proposta de lei.
“A adopção conjugal prevista no código civil aplica-se só no âmbito do casamento. Os unidos de facto heterossexuais não podem co-adoptar, porém os unidos de facto homossexuais, caso esta lei seja aprovada, poderão co-adoptar. Estamos a criar discriminação positiva dos casais homossexuais contra os heterossexuais”, considera.

Por outro lado, explica a activista pró-vida, esta lei não passa de uma forma de tentar contornar a legislação existente, que não permite a adopção por pares de homossexuais: “Com a adopção agora proposta, adopção feita no singular e depois extensível, no fundo o que se pretende é permitir a adopção por pares homossexuais. Não se pode permitir estas fraudes ou burlas à própria legislação por parte dos deputados”. »

Isilda Pegado considera que lei de co-adopção discrimina heterossexuais

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Homofascismo, Politicamente correcto com as etiquetas , , , , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s