Portugal tem que deixar de ser “o amigo da Espanha”, e passar a ser “o amigo da onça”

« Com o envio de uma Nota à ONU, da autoria da Missão Permanente de Espanha junto das Nações Unidas, em Nova Iorque, datada de 5 de Julho e até hoje completamente desconhecida da opinião pública portuguesa, sendo por nós revelada em primeira mão, reacendeu-se a disputa que, nas últimas décadas, tem levado as autoridades espanholas a porem em causa a dimensão da Zona Económica Exclusiva de Portugal em redor das Selvagens pelo facto de, afirmam os espanhóis, as mesmas não deverem ser classificadas como ilhas, mas sim como “rochas”.

A Missão espanhola escreve taxativamente que “Espanha não aceita que as Ilhas Selvagens gerem, de modo algum, Zona Económica Exclusiva, aceitando, todavia, que as mesmas gerem mar territorial uma vez que as considera como rochas com direito unicamente a mar territorial.”»

Selvagens – Reacendeu-se o conflito entre Portugal e Espanha sobre a ZEE das ilhas

amigo-da-onça-320-web.jpg

O Amigo da Onça

Portugal tem que mudar a sua estratégia diplomática em relação a Espanha e aproximar-se mais das posições britânicas – porque de Espanha não é possível esperar qualquer compromisso diplomático sério. Espanha é hoje, na Europa, um Estado pária, fortemente dividido pelas nacionalidades e em avançado estado de putrefacção.

Trezentos e setenta e dois anos depois de 1 de Dezembro de 1640 que expulsou o domínio filipino de Portugal que Espanha nunca aceitou; 198 anos depois da Conferência de Viena que outorgou a Portugal o direito ao território de Olivença que Espanha nunca respeitou; e trinta anos depois da entrada de ambos os países na União Europeia, Espanha continua a ter uma atitude de hostilidade gratuita e irracional em relação a Portugal.

Em resposta a esta contínua e multi-secular guerra de guerrilha castelhana em relação ao nosso país e ao nosso povo, a diplomacia portuguesa terá que mudar não só no que respeita aos apoios internacionais, mas também em relação à forma como lida com as nacionalidades espanholas – incentivando quanto for possível o desmembramento de Espanha em tantos países independentes quantas as nações que existem sob o controlo de Castela. E há muitas formas “politicamente correctas” de fazer isto.

É preciso acabar com a Espanha do centralismo castelhano, de uma vez por todas.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Geral com as etiquetas , , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s