O Cristianismo e a monogénese; a tolerância de Voltaire e a poligénese

 

A monogénese é um conceito segundo o qual a espécie humana surgiu a partir de um único casal — obviamente mulher e homem; hoje há quem tenha dúvidas que são precisos dois gâmetas para fazer parir.

A monogénese exclui a diversidade das “raças humanas”, ou seja, não existem diferentes espécies humanas. O cristianismo e o Judaísmo, através da metáfora de Adão e Eva, abraçou a monogénese.

A poligénese, pelo contrário, defende a ideia segundo a qual as “raças humanas” têm origens biológicas diferentes. Voltaire optou pela poligénese.

“A doutrina cristã é fundada em erros. Assim, a ideia de que todos os homens surgiram de um mesmo pai e de uma mesma mãe, Adão e Eva, é falsa. As raças humanas não tem nada a ver com eles. As raças humanas têm origens diferentes.”

“A religião cristã é, à  partida, má. Ela prolonga a religião judaica que é a de uma nação odiosa e inimiga do género humano. A religião cristã herdou as taras do Judaísmo.”

Voltaire, “Ensaio sobre a Moral e o espírito das Nações”, 1756

Portanto, da próxima vez que você invocar a “tolerância de Voltaire”, convido-o a ir à bardamerda.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Politicamente correcto com as etiquetas . ligação permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s