Sobre o Observador

 

Há boa gente e inteligente que escreve no Observador. Por exemplo, Helena Matos, Gonçalo  Portocarrero de Almada, entre outros. Mas a maioria é gente com discurso arrevesado e sem grande capacidade crítica — porque também existe um politicamente correcto da Não-Esquerda.

A Não-Esquerda é composta por um conjunto de pessoas que não concorda com a esquerda em questões de economia, mas está de acordo com a esquerda em tudo o resto.

É o caso da maioria dos escribas do Observador: pertencem à Não-Esquerda. Por exemplo, a ética utilitarista é absolutamente coincidente na Esquerda (Bloco de Esquerda, Partido Socialista) e na Não-esquerda (Partido Social Democrata). Existe uma facção do CDS/PP que fecha a Não-Esquerda à Direita.

O Partido Comunista foi, até há pouco tempo, uma incógnita: começou por ser um partido anti-utilitarista — na linha de Karl Marx —, mas hoje já patrocina o “casamento” gay, a adopção de crianças por pares de invertidos, o tráfico de crianças, a legalização das drogas, e por isso já não existe uma distinção clara entre o Bloco de Esquerda e o Partido Comunista.

Durante algumas semanas fui acompanhando o Observador. Mas já não sigo. Aquilo é mau demais. É muitíssimo melhor, ainda assim, o Blasfémias ou o Insurgente: pelo menos têm capacidade crítica aguda.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Geral. ligação permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s